Ser Sustentável está na Moda? O perfil do consumidor jovem carioca no mercado da moda sustentável

  • Mariana Villas Boas Rezende ESPM-RJ
  • Veranise Jacubowski Correia Dubeux ESPM-RJ

Resumo

Em um cenário de mercado no qual  as distinções entre produtos têm se tornado mínimas, o consumidor baseia sua escolha no valor que ele acredita ser válido apoiar.  A pesquisa que deu origem a este artigo teve como objetivo compreender as questões relacionadas ao comportamento de consumo sustentável e compra consciente que vem sendo adotado no mercado de moda pela geração Z na cidade do Rio de Janeiro. Para atender aos objetivos, foi realizado  um survey estruturado a partir da adaptação da escala desenvolvida por Fischer, Böhme & Geiger (2017) com cariocas de 16 a 24 anos. Concluiu-se,  por meio de técnicas de estatística descritiva e inferencial, que o perfil de consumidor referido, apesar de mostrar um comportamento de consumo equilibrado, ainda deve ser melhor atendido pelo mercado da moda; este, por sua vez,  pode desempenhar um papel crucial no desenvolvimento de opções e práticas sustentáveis.

Referências

Aaker, D. A. (1998). Marcas brand equity: gerenciando o valor da marca. São Paulo: Negócio.

Arons, M. S. Purpose. (2015). Disponível em: Acesso em: 3 maio 2018.

Berlim, L. (2012). Moda e sustentabilidade: uma reflexão necessária. São Paulo: Estação das Letras e Cores.

Carvalhal, A. (2016). Moda com propósito: manifesto pela grande virada. São Paulo: Paralela.

CNDL, SPC Brasil. (2017). Consumo consciente. Disponível em: C3%A1lise-Consumo-Consciente.pdf >. Acesso em: 23 out.2018.

Dowbor, L. (2017). A era do capital improdutivo. São Paulo: Autonomia Literária, 2017.

Fashion Revolution. Why do we need a fashion revolution?. Fashion Revolution. Disponível em: . Acesso em: 24 set. 2018.

Fischer, D., Böhme, T. & Geiger, S. M. (2017). Measuring young consumers’sustainable consumption behavior: development and validation of the YCSCB scale. Alemanha.

Gil, A. C. (2002). Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas.

González, E. Felix, R., Carrete, L., Centeno, E., e Castaño, R. (2015). Green Shades: a segmentation approach based on ecological consumer behavior in an emerging economy. Journal of Marketing Theory and Practice, 23 (3), p. 287-302.

IBGE. Brasil em síntese. (2018). Disponível em: rio-de-janeiro/panorama>. Acesso em: 01 jun. 2019.

SPC Brasil. (2016). Consumo consciente 2016.

The Nielsen Company. (2015). The sustainability imperative: new insights on consumer expectations. Disponível em: Acesso em: 4 maio 2018.

Webster Junior, F. E. (1975). Determining the characteristics of the socially conscious consumer. Journal of Consumer Research. 2(3), 188-196.
Publicado
2020-06-27
Como Citar
REZENDE, Mariana Villas Boas; DUBEUX, Veranise Jacubowski Correia. Ser Sustentável está na Moda? O perfil do consumidor jovem carioca no mercado da moda sustentável. International Journal of Business Marketing, [S.l.], v. 5, n. 1, p. 72-84, jun. 2020. ISSN 2447-7451. Disponível em: <http://www.ijbmkt.org/index.php/ijbmkt/article/view/137>. Acesso em: 09 ago. 2020.
Seção
Jovens Cientistas