O Peso na Vitrine: similaridade percebida, comportamento de aproximação e intenção de compra de consumidores de moda plus size

  • João Henriques de Sousa Júnior Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC
  • Francisco Vicente Sales Melo Universidade Federal do Ceará - UFC

Resumo

Apesar da expansão da venda de roupas de tamanhos maiores, pouco ainda se sabe sobre a maneira na qual os indivíduos gordos (sobrepesos e obesos) respondem às estratégias deste mercado. Neste sentido, a presente pesquisa apresenta a avaliação dos consumidores gordos acerca dos ambientes de lojas de moda plus size, a partir de sua autoimagem e similaridade percebida. Para tanto, foi realizado um survey online com apresentação de três cenários reais para avaliação de 152 respondentes de 22 estados brasileiros e Distrito Federal. Os resultados indicaram que, apesar dos consumidores de moda plus size apresentarem boa aceitação ao ambiente de lojas de roupas considerado ideal, elas apresentam maior comportamento de aproximação e intenção de compras para os ambientes onde habitualmente encontram roupas de tamanhos maiores com mais facilidade, ainda que não sejam tão atrativas, que são as lojas de departamento e de confecções. Este estudo contribui para o marketing de empresas de varejo de vestuário plus size, pois ao melhorar e adequar suas vitrines aos padrões tidos como ideais por este tipo de consumidores, pode haver maior comportamento de aproximação e intenção de compra.

Referências

Aguiar, E. C. (2016). O papel moderador da similaridade percebida na relação entre percepção de crowding e respostas do consumidor em ambiente varejista. Tese de doutorado em administração – 206 f. Universidade Federal de Pernambuco, Recife.

Andrade, J. & Mazzon, J. A. (2008). Constructos atitudinais relacionados com a marca como mediadores do processamento da mensagem promocional. In: Anais do XXXII ENCONTRO DA ANPAD – ENANPAD, Rio de Janeiro.

Belk, R. W. (1998). Possessions and the Extended Self. Journal of Consumer Research, v. 15, n. 1, p. 139-168.

Betti, M. U. (2014). Beleza sem medidas? Corpo, gênero e consumo no mercado de moda plus size. Dissertação de mestrado em Antropologia Social – 213 f. Universidade de São Paulo, São Paulo.

Birdwell, A. E. (1968). A study of the influence of image congruence on consumer choice. Journal of Business, v. 41, n. 1, p. 76-88.

Brocato, E. D., Voorhees, C. M. & Baker, J. (2012). Understanding the influence of cues from other customers in the service experience: A scale development and validation. Journal of Retailing, n. 88, v. 3, p. 384-398.

Colls, R. (2006). Outsize/Outside: Bodily Bignesses and the Emotional Experiences of British Women Shopping for Clothes. Gender Place and Culture, v. 13, n. 5, p. 529–545.

Costa, T. & Cardoso, A. (2007). O ‘peso da moda’: a relação e o envolvimento das mulheres obesas com a moda. Revista da Faculdade de Ciências Humanas e Sociais. Porto, Portugal, v. 4, p. 54-67.

Creswell, J. W. (2010). Projeto de pesquisa: métodos qualitativo, quantitativo e misto. Tradução: Magda França Lopes. 3ª edição. Porto Alegre: Artmed.

Farias, S. A. (2007). Atmosfera de loja on-line: O impacto do ambiente virtual na satisfação do consumidor e atitude de compra. Revista de Administração, v. 42, n. 1, p. 31-41.

Grubb, E. L. & Grathwohl, H. L. (1967). Consumer self-concept, symbolism and Market behavior: a theoretical approach. Journal of Marketing, v. 31, n. 1.

IBGE. (2015). Pesquisa nacional de saúde: 2013: ciclos de vida: Brasil e grandes regiões. Coordenação de Trabalho e Rendimento – 92 p. Rio de Janeiro.

Kulick, D. & Meleney, A. (2005). The Anthropology of an Obsession. New York: Jeremy P. Tarcher/Penguin.

Marcelino, D. M. N., Geleilate, J. M. G., Gomes, D. M. O. A., Maciel, D. F. & Leocadio, A. L. (2011). A influência da música ambiente no comportamento de aproximação e afastamento do consumidor: Um estudo baseado no modelo PAD. Revista Perspectivas Contemporâneas, v .6, n. 1, p. 45-79.

Matis, M. (2006). Trends Plus – Fashion discovers a new Market. USC’s Center for Management Communication.

Medeiros, F. & Cardoso, C. E. (2010). Moda plus size para mulheres entre 25 a 55 anos no Brasil. Anais do 6º Colóquio de Moda.

Mehrabian, A. & Russel, J. A. (1974). An approach to environmental psychology. Cambridge: MIT Press.

Meng, W. (2007). The U.S. Plus-size female consumer: self-perception, clothing involvement, and the importance of store attributes. Dissertação de mestrado em ciência. Universidade da Carolina do Norte, U.S.A.

Morandin, G., Bagozzi, R. & Bergami, M. (2013). Brand community membership and the construction of meaning. Scadinavian Journal of Management, v. 29, n. 1, p. 173-183.

Nunes, G. R. E. S., Baptista, P. P., Maffezzolli, E. C. P. & Vieira, V. A. (2013). O efeito da similaridade, do tipo de anúncio e do autoconceito sobre a aceitação de extensões de marca. Anais do XXXVII EnANPAD. Rio de Janeiro.

Peters, L. D. (2014). You are what you wear: How plus-size fashion in fat identity formation. Fashion Theory, v. 18, n. 1, p. 45-72.

Ponchio, M. C. & Strehlau, V. I. (2011). Eu estendido no interesse por automóveis clássicos: um estudo comparativo entre consumidores paulistanos. Facep Pesquisa, v. 14, n. 3, p. 229-308.

Rodrigues, A. R. (2012). A construção da identidade social por meio do consumo vegetariano: um estudo netnográfico. Dissertação de mestrado – 216 f. Universidade Federal de Lavras, Minas Gerais.

Santos, A. K. F., Gosling, M. S., Andrade, M. A. M. & Meira, K. C. O. (2016). Estratégias de relacionamento das confecções de roupas femininas: a visão da gestão. Revista Diálogos Interdisciplinares, v. 5, n. 1.

Silva, M. J. B. (2015). A extensão do Self na prática do consumo colaborativo: investigando a experiência de acesso dos usuários do sistema de compartilhamento de bicicletas de Pernambuco. Dissertação de mestrado em administração – 208 f. Universidade Federal de Pernambuco, Recife.

Sirgy, M. J. (1982). Self-concept in Consumer Behavior: a critical review. Journal of Consumer Research, v. 9, n. 1, p. 287-299.

Turley, L. W. & Chebat, J. C. (2002). Liking retail strategy, atmospheric design and shopping behavior. Journal of Marketing Management, v. 18, n. 1, p. 125-144.

Vaz-Serra, A. (1986). O Inventário Clínico de Auto-Conceito. Psiquiatria Clínica, v. 7, n. 2, p. 67-84.

Winter, M. F. F. & Moraes, S. G. (2013). Nem 38, nem 42: vaidade, autoestima e autoconceito para a consumidora plus size. Anais do II SEMIC – Seminário de Iniciação Científica, ESPM: São Paulo.
Publicado
2020-06-27
Como Citar
SOUSA JÚNIOR, João Henriques de; MELO, Francisco Vicente Sales. O Peso na Vitrine: similaridade percebida, comportamento de aproximação e intenção de compra de consumidores de moda plus size. International Journal of Business Marketing, [S.l.], v. 5, n. 1, p. 55-71, jun. 2020. ISSN 2447-7451. Disponível em: <http://www.ijbmkt.org/index.php/ijbmkt/article/view/146>. Acesso em: 09 ago. 2020.
Seção
Artigos