Lançamento de novos produtos do segmento alimentício B2B: insights de uma empresa com atuação global

  • Leonardo Fabris Lugoboni Universidade Ibirapuera
  • Areadne Maris de Lima Zorzetto Centro universitário FECAP
  • Marcus Vinicius Moreira Zittei Universidade Federal de São Paulo (Unifesp)
  • Roberto Flores Falcão Centro universitário Alves Faria (UNIALFA)

Resumo

O marketing B2B (Business-to-Business) trata de todas as transações feitas entre empresas, indústrias e distribuidores. Para acompanhar e atender as complexas e dinâmicas demandas do segmento B2B, é necessário que profissionais de marketing tenham conhecimento sobre estratégias e ferramentas de marketing, a fim de obter uma maior interação e conhecimento do mercado, da indústria e mesmo da sua posição, o que pode possibilitar maior eficiência e sucesso na tomada de decisões. Entender as características do mercado em que se atua e como o marketing é aplicado neste contexto, é o diferencial no sucesso do lançamento de um novo produto. Esta pesquisa buscou identificar quais estratégias de marketing são utilizadas no lançamento de novos produtos alimentícios no mercado B2B, por meio do método de levantamento survey, com entrevistas semiestruturadas realizadas com gestores de 6 países. Verificou-se que existe uma unidade nas práticas de marketing utilizadas porem com divergências na aplicação da mesma, constatando-se que a comunicação na fidelização do cliente é o grande foco no B2B.

Referências

ABIA – Associação Brasileira da Indústria de Alimentos. Relatório Anual 2020. Acesso em 04 de abril de 2020 http://www.https://www.abia.org.br/
AB MAURI. AB Mauri Industria de Alimentos. Acesso em 10 de novembro de 2012 http://www.abmauri.com
AB MAURI. AB Journey. Acesso em 11 de novembro de 2012 https://www.theabmaurijourney.com/client_style/
Apolinário, F. (2006). Metodologia científica: filosofia e prática da pesquisa. São Paulo: Thomson Learning.
Barros, R. R. (2008). Consumo de alimentos industrializados e fatores associados em adultos e idosos residentes no município de São Paulo. Dissertação de mestrado, Programa de Pós-Graduação em Nutrição, Faculdade de Saúde Pública, Universidade de São Paulo (USP), São Paulo, Brasil.
Beverland, M. B., Ewing, M. T., & Matanda, M. J. (2006). Driving-market or market-driven? A case study analysis of the new product development practices of Chinese business-to-business firms. Industrial Marketing Management, 35(3), 383-393.
Campomar, M. C. (1991). Do uso de “estudo de caso” em pesquisas para dissertações e teses em administração. Revista de Administração da Universidade de São Paulo (RAUSP), 26(3), 95-97.
Ciric, D., Lalic, B., Gracanin, D., Palcic, I., & Zivlak, N. (2018). Agile project management in new product development and innovation processes: challenges and benefits beyond software domain. In 2018 IEEE International Symposium on Innovation and Entrepreneurship (TEMS-ISIE) (pp. 1-9), Beijing: IEEE.
Cooper, R. G., Scott, J. E., & Kleinschmidt, E. J. (2001). Portfolio management for new products. Massachusetts. Perseus Publishing.
Costa, D. D. (2011). A gestão do desenvolvimento de produtos na indústria de materiais de construção. RAC, 15(1), 1-24.
Churchill Jr, G., & Peter, J. P. (2000). Marketing: Criando valor para os clientes. São Paulo: Saraiva.
Fachin, O. (2002). Fundamentos de metodologia. 3. ed. São Paulo: Saraiva.
Ferreira, A. G. G. (2007). A influência dos processos de desenvolvimento de produto no desempenho inovador das empresas. Dissertação de mestrado, Programa de Pós-Graduação em Administração, Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, Universidade de São Paulo (USP), São Paulo, Brasil.
Fink, A., & Kosecoff, J. (1985). How to conduct surveys: a step-by-step guide. Berverly Hills: Sage.
Flick, U. (2009). Qualidade na pesquisa qualitativa: coleção pesquisa qualitativa. Porto Alegre: Bookman.
Gil, A. C. (1999). Métodos e técnicas de pesquisa social. 5 ed. São Paulo: Atlas.
Geehan, S. (2011). The B2B executive playbook: how winning B2B companies achieve sustainable, predictable, and profitable growth. Cincinnati: Clerisy Press.
Griffin, A. (2002) Product development cycle time for business-to-business products. Industrial Marketing Management, 31(4), 291-304.
Homburg, C., Workman Jr, J. P., & Jensen, O. (2002). A configurational perspective on key account management. Journal of Marketing, 66(2), 38-60.
Kaminski, P. C. (2000). Desenvolvendo produtos com planejamento, criatividade e qualidade. Rio de Janeiro: Editora LTC.
Kotler, P., & Keller, K. L. (2006). Administração de marketing. 12. ed. São Paulo: Prentice Hall.
Marcos-Cuevas, J., Nätti, S., Palo, T., & Baumann, J. (2016). Value co-creation practices and capabilities: sustained purposeful engagement across B2B systems. Industrial Marketing Management, 56, 97-107.
La Rocca, A., Moscatelli, P., Perna, A., & Snehota, I. (2016). Customer involvement in new product development in B2B: the role of sales. Industrial Marketing Management, 58, 45-57.
Mattar, F. N. (2006). Processo de desenvolvimento e lançamento de novos produtos em pequena empresa: um estudo de caso. Revista de Administração da Universidade de São Paulo, 17(4), 23-44.
Mattar, F. N., & Santos, D. G. (2003). Gerência de produtos: como tornar seu produto um sucesso. 2 ed. São Paulo: Atlas.
Menon, A., Chowdhury, J., & Lukas, B. A. (2002). Antecedents and outcomes of new product development speed: an interdisciplinary conceptual framework. Industrial Marketing Management, 31(4), 317-328.
Meziou, F. (1991). Areas of strenght and weakness in the adoption of the marketing concept by small manufacturing firms. Journal of Small Business Management, 29(4), 72-78.
Patton, E., & Appelbaum, S. H. (2003). The case for case studies in management research. Management Research News, 26(5), 60-71.
Porter, M. (1999). Competições: estratégias competitivas essenciais. São Paulo: Editora Campus.
Raddats, C., & Easingwood, C. (2010). Services growth options for B2B product-centric businesses. Industrial Marketing Management, 39(8), 1334-1345.
Rozenfeld, H., Amaral, D. C., Forcellini, F. A., Toledo, J. C., Silva, S. L., Alliprandini, D. H., & Scalice, R. K. (2006). Desenvolvimento de produtos: uma referência para a melhoria do processo. São Paulo: Saraiva.
Rocha, T. V., Borini, M. F., & Spers, E. E. (2010). A autonomia de marketing das subsidiárias estrangeiras no Brasil para desenvolvimento de novos produtos em multinacionais. Revista de Administração da Universidade de São Paulo, 45(4), 328-342.
Selltiz, C., Jahoda, M., Deutsch, M, & Cook, S. W. (1967). Métodos de Pesquisa nas relações sociais. São Paulo: Herder.
Schumpeter, J. A. (1982). Teoria do desenvolvimento econômico: uma investigação sobre lucros, capital, crédito, juro e o ciclo econômico. São Paulo: Abril.
Takahashi, S., & Takahashi, V. (2007). Gestão de inovação de produtos: estratégia, processo, organização e conhecimento. Rio de Janeiro: Editora Campus.
Toni, D., & Boehe, D. M. (2006). Fatores que contribuem para o melhor desempenho com um novo produto: um instrumento para avaliação do processo de desenvolvimento de novos produtos. Trabalho apresentado no Simpósio de Gestão da Inovação Tecnológica, Gramado, Brasil.
Tornatzky, L. G., & Fleischer, M. (1990). The process of technological innovation. Massachussets: Lexington Books.
Ulrich, K., & Eppinger, S. (1995). Product design and development. New York: McGraw-Hill.
Vergara, S. C. (2012). Métodos de pesquisa em administração. São Paulo: Atlas.
Yin, R. K. (2015). Estudo de Caso: planejamento e métodos. Porto Alegre: Bookman.
Publicado
2022-06-30
Como Citar
LUGOBONI, Leonardo Fabris et al. Lançamento de novos produtos do segmento alimentício B2B: insights de uma empresa com atuação global. International Journal of Business Marketing, [S.l.], v. 7, n. 1, p. 92-103, jun. 2022. ISSN 2447-7451. Disponível em: <http://www.ijbmkt.org/index.php/ijbmkt/article/view/207>. Acesso em: 26 set. 2022.
Seção
Artigos